A descoberta do Buda – Você é a fonte

Sutra: A maldade é sua. A tristeza é sua. Mas a virtude também é sua. E a pureza. Você é a fonte de toda pureza e de toda impureza.

Osho: Um ser humano completamente transformado nasce no momento em que você aceita sua responsabilidade por si mesmo, no momento em que você diz: “Seja o que for que eu seja, é escolha minha – não uma escolha do passado, mas do presente. Essa é minha escolha neste momento e, se eu quiser mudar isso, sou absolutamente livre para mudar. Ninguém pode me impedir – nenhuma força social, nenhum estado, nenhuma história, nenhuma economia, nenhum inconsciente pode me impedir. Se eu estiver determinado a mudar isso, eu posso mudá-lo”.

Sim, no começo a responsabilidade parece um peso, um peso pesado. Parece bom jogar a responsabilidade nas costas dos outros. Pelo menos, você pode dizer: “Não sou o responsável”. Você pode sentir que é só uma vítima desamparada. No começo, aceitar a responsabilidade por si mesmo total e incondicionalmente é pesado. Gera desespero, angústia, ansiedade – mas só no começo. Uma vez que isso seja aceito, devagarzinho você fica ciente do grande potencial e da grande liberdade de que isso traz.

Se eu sou o responsável pela minha infelicidade, isso também significa, automaticamente, que eu sou o responsável pela minha bem-aventurança. Se eu sou responsável pela minha infelicidade, eu posso acabar com ela imediatamente. Deixe-me repetir a palavra imediatamente – nem mesmo por um único momento a pessoa tem de esperar. Não é uma questão de mudar a vida passada, não é uma questão de mudar a sociedade, não é uma questão de trazer a ditadura do proletariado; e não é uma questão de passar anos e anos na psicanálise. É uma questão de aceitar a responsabilidade de que: “Seja o que for que eu seja, fui eu que criei meu estado interior, meu ser”.

O homem nasce somente como um potencial. Ele pode se tornar um espinho para ele mesmo e para os outros, ele pode também se tornar uma flor para ele mesmo e para os outros. E, lembre-se, seja o que for que você seja para si mesmo, você é também para os outros. Se você for uma flor para si mesmo, sua fragrância acabará se espalhando; ela chegará até os outros. Se você é um espinho para si mesmo, como pode ser uma flor para os outros?

Raoni Duarte: Aceitar a autorresponsabilidade é um momento histórico na jornada de todo ser, ela marca o início de uma nova fase da consciência.

E são necessárias muitas vidas até que esse momento chegue. Nós fomos viciados no externo, no vitimismo, tornando necessários muitos episódios de sofrimento, até que o “estalo” aconteça.

E a partir do momento que a autorresponsabilidade é aceita, ao invés de perder tempo procurando culpados, você investirá toda sua energia em olhar para dentro, para enxergar em si os pensamentos e sentimentos que estão criando as situações negativas que estão sendo experienciadas.

E quanto mais olhamos para dentro, mais percebemos nossa Luz e, quanto mais percebemos nossa Luz, mais evidente ficam as nossas sombras.

O processo de autoconhecimento vai muito além de assumir a responsabilidade por nossa realidade, é tomar consciência que, dentro de nós, existe O potencial para criar tudo que se quiser.

O Todo é onipresente, ou seja, está em tudo e, se nós existimos, Ele está em nós – Ele É nós. Acontece que Ele também é onipotente, ou seja, pode tudo e, consequentemente, nós também podemos tudo. Não existe um lugar mais Ele e outro menos, não existe alguém mais Ele e outro menos.

A essência do Todo é o amor incondicional e, onde há amor incondicional, não existem regras, dogmas, doutrinas, nem qualquer outro tipo de limitação. Apenas compreensão, aceitação e acolhimento.

O que quero dizer é que você, parte do Todo, com toda sua potencialidade, pode fazer o que bem quiser, você tem o livre arbítrio. E dentro das infinitas possibilidades que existem, negar ser o Todo é uma delas. Acontece que quando você nega ser o Todo, quando você nega o amor, você está emanando para o universo um sentimento não-amor. Adivinhe o que irá voltar para você?

Tomar consciência da sua potencialidade é a chave para tornar-se o maestro da sua vida. Dentro de você existe todo ódio, todo medo, toda inveja, todo ciúme, todo sentimento negativo que se possa imaginar. Assim como dentro de você existe todo amor, toda confiança, toda harmonia, toda paz que se possa experienciar.

A essência, o Norte, apontam para o amor. O livre arbítrio, o ego, criam a ilusão.

Amar é uma escolha consciente, tem que partir de você, afinal, você é a fonte.

Busque conhecimento, emita amor, seja Luz!

Deseja receber nosso conteúdo diário?

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também:

Gostaria de receber nosso conteúdo diário?